Google+ Followers

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Vida Matuta ( Cordelzinho )


Lá na roça o capiau de qualquer jeito se vira 
Cafezinho com mentira, bacalhau? Sal na traíra  
Viradinho e cambuquira, e assim vai lambendo embira.  A caça é o que vem na mira, seu sossego, ninguém tira / Desperta com a corruíra, no rancho que construíra / Vivendo de amô com  Elvira, segue os dois lambendo embira...
Sem nervosismo, nem ira - feliz ansim, ninguém vira
Quando os dois no catre estira, sente até que o mundo gira / Num romance bem caipira... Só pelanca e muita embira...  Mas com os dois não tem mentira, vai xingá; -sua Pomba Gira!  -E ocê, seu Curupira! -Corpinho de sucupira! 
-Seu cambito de saíra!... Volta a paz e é mais embira...
O casal já evoluíra... isso deles ninguém tira.
Agarradinhos suspira, naquela hora transpira...
Gemendo, ronca e suspira... Ai! Meu Curu!... Minha... Gira!