Google+ Followers

domingo, 15 de junho de 2014

Vaidade das vaidades


É inútil querer barrar a ação do tempo
Em vão tentar velejar contra as forças do vento
Nesse mundo  moderno de tecnologia global
Onde as massas defendem o consumo do alimento natural
Seria inaceitável tantos cremes de beleza
Prometendo juventude milagrosa com certeza...
E é um tal de arranca pelos, progressivas nos cabelos
E quando não se tem mais cabelos-perucas no lugar
Dos cabelos e cílios postiços pra reparar o desperdício
Que tolice! Quanta insensatez! 
Porque a mulher já nasce pronta
E a beleza está simplesmente na pureza
E quanto mais se demonstra a singeleza
Mais chances tem de subir no conceito
Pois para os homens o natural é o perfeito
E é perfeito tudo o que Deus fez.
   t   g   f   p