Google+ Followers

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Feitiço contra feiticeiro


Maníaco por segurança guardava armas em todos os cômodos da casa, mas esquecia-se de que sem Deus não há lugar seguro na terra.  Provavelmente ele via todas as pessoas com desconfiança e tinha sempre um pé atrás ao fazer amizades...  Está mais que provado o poder maléfico das armas que não foram produzidas para outro fim, senão para matar o semelhante.  Quem adquire uma arma vai querer usá-la um dia...  E esse dia chegará mais cedo ou mais tarde.  Para esse personagem o dia chegou para ele mesmo e pelas mãos de alguém que não despertava a menor suspeita.  É como se Dalila houvesse voltado para trair Sansão.  Mas nesse caso ela mesma levou a cabo a vida de seu companheiro-usando a pistola da própria vítima...  Quando alguém compra arma, de imediato expulsa Deus de seu coração e, na sobra de espaço cabe direitinho o espírito maligno que passa a dar as ordens; Mata! Mata! Mata!...  E a voz dele soou tão forte que a mulher ouviu e obedeceu.
                                          O              f             g