Google+ Followers

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Quem preserva ama ( cordelzinho )

            Nossa água vem do campo / Sai da roça os nossos grãos
    Nossos móveis já foi mato / Nosso leite é do sertão

         Se comemos, se bebemos / Se vestimos, se abrigamos
    No agricultor pensemos / Ao roceiro agradeçamos.

O boia-fria, o vaqueiro / Contribuem por demais
Para encher a nossa mesa / De carnes e cereais.

                            Nossas frutas e verduras / Das mãos do horticultor
                                 Chegam ao supermercado / Resplandecendo o frescor
                  Do doce cheiro da terra / De elevado sabor.

                             O ser vivo lembra chuva / Que faz nascer a semente
                            Que germina e frutifica / Nutrindo animais e a gente.

                     Dá revolta ver alguém / Depredando a natureza
                                    Cuspindo o prato que come / A muitos causando a fome.

                                 Desumanos, desprezíveis / Só prestam culto ao dinheiro
                          Egoístas, desalmados / São por todos desprezados.
                          Prestarão contas a Deus / Dos seus atos praticados
                            Renascerão miseráveis / Para resgatar seus pecados.