Google+ Followers

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Somos mesmo seguidores do Cristo?


Quanto mais enfermo e em pecado se encontrasse o homem, mais próximo dele estava o Cristo em suas peregrinações...  Jesus fazia questão de se misturar à multidão sofrida e desprezada...  Para o Mestre ninguém era mais, nem menos.  O leproso era tão importante quanto um doutor da lei.  Tratou a todos com equidade e não deu privilégios a quem quer que fosse.  Qualquer pecador arrependido de seus erros era por Ele perdoado com uma única condição;  Vá e não peques mais!...  É um contra-senso o que vivenciamos hoje.  Só dizemos "paz do Senhor"  àqueles que congregam conosco, mas aos outros nós fazemos questão de evitar.  Será que estamos seguindo Jesus para imitar seus gestos ou para saber como se faz para não nos envolvermos com alguém que presumimos inferiores a nós?!  Será que estamos salvos e os outros estão condenados??  Para o Cristo as seitas religiosas não faziam diferença alguma e Ele não questionava ninguém a esse respeito.  O que, de fato importava era o coração puro daquele penitente em suplício pela cura dos males do corpo e da alma...  Em seus discursos Ele enfatizava;  Não vim pelos santos, mas pelos pecadores.  Os sãos não precisam de médicos, mas os doentes.    g  t  f  O